Impressoras 3D: O que são?

O que são impressoras 3D?

Impressoras 3D são dispositivos conceitualmente similares às impressoras normais, que todo mundo possui em casa hoje em dia, ou seja, um aparelho que recebe dados de um computador ou cartão de memória e gera uma “representação física” do mesmo.

“Representação Física” ?!?!

Sim. No caso das impressoras tradicionais, a representação física são textos, imagens, fotografias, coloridas ou em preto e branco. Nas impressoras 3D, são objetos.

Ou seja, em outras palavras, uma Impressora 3D é um aparelho que “fabrica” objetos.

 

OK, como elas funcionam?

Depende. Da mesma forma que nas impressoras tradicionais, onde existem impressoras matriciais, laser, jato de tinta, entre outras, no âmbito das impressoras 3D também existem algumas variações.

 

FDM

As impressoras FDM (Fused Deposition Modeling), funcionam através da deposição de material, camada por camada, através de um extrusor de filamento. O filamento é aquecido até a temperatura de fusão do material, permitindo que seja empurrado através de um bico de impressão. Esse bico pode cobrir um espaço tridimensional de tamanho variável (depende do tamanho da impressora), camada por camada, através do movimento combinado da cabeça e da mesa de impressão. Elas são, de longe, as mais comuns no mercado. Popularizadas pelo conceito RepRap, são as mais barata, muitas vezes vendidas em kits para montagem, ou então, cujas peças podem ser adquiridas, separadamente, em incontáveis e-commerces pela web.

 

SLA

As impressoras SLA (Sterolitography Aparatus) utilizam a primeira técnica criada para impressão 3D, desenvolvida na década de 1990. Funcionam através da solidificação de uma resina líquida, camada por camada, usando um feixe de laser ultravioleta. Em geral, por sua complexidade, não é possível montá-las em casa, são mais caras e produzidas por algumas poucas empresas. Por outro lado, a qualidade visual da impressão é melhor.

 

 

Powder Bed

As impressoras do tipo “Powder bed” (“mesa de pó”, em uma tradução não literal – Powder bed and inkjet head 3D printing) funcionam depositando-se uma camada inteira e fina de pó sobre uma mesa e, então, solidificando as posições desejadas (as que fazem parte do objeto) com algum tipo de produto químico ou processo físico. Quando utilizada deposição de produto químico, que pode ser colorido, ocorre de uma forma muito similar às impressoras jato de tinta, porém, com a cabeça de impressão sendo movida em 2 dimensões (ao invés de uma só, como nas impressoras jato de tinta). Uma vez que a camada é finalizada, a mesa baixa algumas frações de milímetro e deposita uma nova camada de pó, dando continuidade ao processo. Além de produtos químicos, pode ser utilizado algum tipo de laser ou processo térmico.

Das 3, é a menos popular. Existem vários modelos profissionais, porém, no âmbito amador, existem poucas iniciativas. Sua grande vantagem, com relação às outras, é que o pó, por si só, já dá suporte ao material impresso, permitindo que objetos sejam “impressos no ar”.

 

Outras

Existem outras técnicas, mas as técnicas acima representam a maioria das impressoras disponíveis, profissionais ou amadoras.

 

Quero uma impressora 3D. Qual devo adquirir?

A resposta para essa questão passa pela avaliação de alguns quesitos:

  1. Quanto eu estou disposto a gastar?
  2. Qual o nível de qualidade dos objetos eu preciso?
  3. Qual a utilidade dos objetos?
  4. A apresentação do aparelho é importante?
  5. Gosto de entender como o aparelho funciona ou quero apenas que funcione?

Considerando a raridade das “powder bed”,  a menos que se tenha muito dinheiro à disposição, não são viáveis no âmbito amador.

As impressoras SLA possuem uma qualidade de impressão melhor, porém, são de 3 a 4x mais caras que as FDM (em média) e o material, em geral é menos resistente. Os modelos disponíveis podem ser considerados os de melhor design. Assim, qualidade e apresentação = SLA

As FDM são mais baratas, possuem uma variedade maior de materiais a disposição, porém, a qualidade do objeto impresso não é tão boa (é possível ver as trilhas do material depositado), e os aparelhos tendem a ser maiores, com acabamento inferior e mais barulhentos.

Mas se você gosta de ter o controle sobre o aparelho, poder montá-lo, consertá-lo e, até mesmo, melhorá-lo, as FDM são a opção.

 

[Motivação e Utilidade] Próximo >>